(...) Desisto!


P.S. Desde sempre achei que era capaz de tudo. Achei, talvez ingénuo, ser catalisador de bons sentimentos, de compreensão, de paz, de fraternidade. Hoje olho para trás, agora que deixo estas palavras para que conste a minha mais profunda desilusão, e vejo que afinal fui apenas usado. Usado ao bel-prazer daqueles que enchem a boca para se dizerem justos, para se dizerem bondosos, amigos do seu amigo. Quase me dá vontade de rir, não estivesse eu tão triste, ao olhar para a desfaçatez com que as pessoas me têm sempre na ponta da língua, penso que num automatismo de defesa e de auto-ajuda, não sei explicar. Mas depois, num piscar de olhos, assumem atitudes de um completo bipolarismo.

No inicio, mesmo bem no inicio de tudo o que há, eu era Feliz. Mas durou pouco a minha felicidade, pelo que sou obrigado a concordar quando se diz que a felicidade é feita de momentos. De quando em vez, ainda há pessoas capazes de me surpreender, que têm uma existência desprovida de maldade, porém, nesta sociedade cada vez mais manipuladora e instigadora de lutas, disputas, seja de que ordem for, são cada vez menos os que conseguem erguer orgulhosamente o estandarte da dignidade, mas existem, e talvez tenha sido por esses poucos que eu fui aguentando, na certeza de que esses poucos mereciam tudo de mim, afinal se é o que preconizo, não posso simplesmente demitir-me das minhas funções.

Sou confundido tantas vezes com tantos outros sentimentos de índole mesquinha, negativa, que até eu me baralho. Onde é que eu errei? Onde fui displicente ao ponto de permitir que tomassem conta de mim desta forma, invertessem todo o sentido da minha existência e ainda por cima gritassem o meu nome a plenos pulmões, emoldurando para todo o sempre todo o mal que proporcionaram e servindo-se de mim para papel de embrulho.

Eu sei, falo com amargura, foi um desabafo, perdoem-me. Eu sei que não seria, jamais, capaz de desistir. Isso seria legitimar todas as coisas que vão contra mim, desiludindo, eu próprio, aqueles que ainda me crêem e ainda acham que eu posso mover um Mundo, que eu sou motor da Humanidade, e sim, catalisador do Bem. Ainda tenho alguma força dentro de mim para tentar, mais uma vez, junto daqueles que são mais fracos. Ajudá-los a perceber que se me utilizarem dentro dos fins a que eu me destino, e sob as pautas pelas quais me rejo, poderão à sua volta espalhar a minha essência, e eu prometo continuar a multiplicar-me quando partilhado, nunca perdendo a minha fé ou a minha Esperança, de que eu próprio posso vir a ser Feliz outra vez, quando olhar ao redor e sentir, que há muito mais pessoas felizes.

Ass: 


amor @olhares.com por Jorge Vieira



[2011/02/17]
Posted by Picasa

20 Responses to "Post-scriptum"

  1. Moon Dreamer Says:

    Adorei! :)

    Moon Dreamer

  2. Natacha Says:

    Muito obrigada Moon Dreamer!

    É sempre um incentivo a mais saber que quem nos lê, gosta do que escrevemos e nos tatua :)

  3. SDaVeiga Says:

    Lindo! E muito verdade...

    Bom fim-de-semana!

  4. Natacha Says:

    Olá Sónia!

    Obrigada, podes crer, cada vez mais verdade, mas estamos na luta, alguns de nós estamos :)

    Bom fim de semana também para ti, ou o que resta dele ;)

  5. ónix Says:

    Penso que chegámos a um ponto que nem o amor nos pode salvar. Vivemos num mundo como tão bem descreves em que o amor já não tem qualquer hipótese de vingar. Eu queria acreditar, mas tudo o que vejo à minha volta no dia a dia, faz-me deixar de crer.
    Abraço

  6. Natacha Says:

    Ónix,

    Confesso que já estive descrente também, mas a vida mostrou-me que tenho tanta gente à minha volta que merece que eu continue a ter força e esperança, que eu decidi acreditar sempre e remar contra todas as marés... sempre a favor do Amor...

    Um dia, poderei ser a única a erguer a bandeira, mas estarei orgulhosamente só... :)

    Um beijinho

  7. SDaVeiga Says:

    É assim mesmo Natacha!!!

    Já seremos duas! :-)

    Boa semana!

  8. pinguim Says:

    Um hino ao Amor, mais do que à Esperança...

  9. Natacha Says:

    Sónia :)

    Acho, bem no fundo, de que seremos muitos mais, a julgar pela amostra ;)

    Tudo de bom!

  10. Natacha Says:

    Pinguim...

    O Amor tem sempre Esperança, mesmo que nem sempre pareça :)

    Beijinho

  11. Closet Says:

    p.s.: não desistas!
    gostei muito deste Amor, bjs

  12. Natacha Says:

    Obrigada, Closet :)...

    ... pela tatuagem, pela presença e pela força ;)

    Beijinhos

  13. Cláudio Says:

    Quando era pequeno, alguém que já cá não está dizia-me para ser sempre eu e não me deixar transformar ou influenciar pelo mundo mesquinho das pessoas que nos rodeiam. Assim faço! Reformulo, assim tento! Talvez o lado mau só exista para que o lado bom tenha a sua devida glória e razão de ser! Continuo sempre a acreditar. Obrigado pelo prazer que a tua escrita nos proporciona.

  14. Natacha Says:

    Cláudio,

    Sábia a pessoa da tua vida que te deu esse conselho, atrevo-me, e eu própria te digo, sem qualquer autoridade mas de coração, de que deves mesmo ser sempre tu próprio. Sim, eu também continuo sempre a acreditar, e juntos, todos juntos os que acreditamos, podemos operar a mudança necessária!

    Obrigada, muito obrigada...

  15. Ametista Says:

    Fantástica a tua história.. o importante é nunca deixarmos de ser genuínos..
    Não serás a única a erguer a bandeira nem tão pouco estarás orgulhosamente só.. porque também eu e outro(s), como nós, estarão lá.. para que a palavra amar não perca a voz..

    Um grande beijinho :)

  16. Natacha Says:

    Olá Ametista :)

    Também estou crente de que nunca estarei orgulhosamente só, não neste assunto específico :)
    Porém cuidado, cuidado com quem ergue a voz para falar a palavra "Amar" sem nunca ter amado de verdade, ou sequer saber do que verdadeiramente se trata "Amar" em sentido lato :)

    Obrigada e um beijinho

  17. Ametista Says:

    A quem o dizes.. há quem soletre essa palavra de ânimo leve e não saiba o seu verdadeiro significado, mas consegue enganar na perfeição..
    E mais não digo..

    Beijinho :)

  18. Natacha Says:

    Leonor,

    No fundo são esses uns quem fica a perder :)

    Beijinhos

  19. Butterfly Says:

    Mais vale tarde do que nunca! Cá estou eu a ler-te mais uma vez...com muito prazer:))

    Beijinhos
    cláudia

  20. Natacha Says:

    Muito obrigada, Cláudia!

    A tua presença é sempre bem vinda e ... nunca é tarde ;)

    Beijinho

Enviar um comentário