Como o vento e a terra tudo há-de acabar
o que o meu coração não aguentar
esqueceu ou deixou de amar.
Como tudo tem um FIM a paixão morreu em mim
mas a imagem continua presente
Agora e para sempre.
Aquela imagem de encantar
porque uma amizade nunca acaba
com a possibilidade de amar
sim... amar
Mas de uma maneira diferente
já não quero mais chorar
mas levantar-me e seguir em frente
Enfrentar o amor, o amor e a saudade
porque amar não é só sofrer na minha idade.
Amor, amar, o que será na realidade
será alegria, será dor
ou será apenas saudade
saudade...saudade que ainda sinto
saudade que não vou esquecer
saudade que não evito e que levarei comigo até morrer...


Saudade e não só
alegria, respeito admiração
tudo o que sinto por alguém
bem dentro do meu coração
Mas quando percebi, já tarde
que em toda a confusão
eu perdi... eu sofri...e algo morreu dentro de mim
Sem lágrima... sem dor... mas com AMOR
Eu descobri, que depois do que vivi
eu não consegui ser... EU
Mas nunca há-de voltar
aquele dia solitário e viril
Duma linda tarde de Abril
em que à nossa volta existia apenas uma espera
Uma espera pelo dia teu... dia meu...
dia que o mundo esqueceu
porque tudo acabou e nada mais existe... sinceridade apenas
sinceridade que tarda mas não falha
como o ingénuo primeiro espinho de uma rosa
dentro de um coração pequeno
pequenino como o de um pássaro
que não sabe voar porque ninguém lhe ensinou
e ninguém consegue ver o coração que não suspirou
coração que se tornou de pedra
coração que não quer viver
coração que sofre pelo amor que ACABOU...

Uma memória de 1991 agora reposta para: Fábrica de Histórias

[2012/03/25]

6 Responses to "Memórias primaveris"

  1. T. Says:

    Há amores que nunca acabam =)

    ADOREI já sabias.

    beijo

  2. Closet Says:

    Acabando ou não, há amores que são uma verdadeira inspiração! Devias pensar mesmo em investir na poesia ;) Gostei muito!

  3. Natacha Says:

    Nenhum amor acaba :) apenas se transforma, ou não era amor ;)

    Obrigada, querido T :)

    Beijo

  4. Natacha Says:

    Sónia, pobre do amor que não seja inspiração :)) Eu vou investindo... como vês desde 1991 ;) não preciso de te dizer que idade tinha hehehe

    Obrigada, um beijinho

  5. Ametista Says:

    Torno-me repetitiva ao dizer que és poeta.. mas és mesmo! Concordo com a closet. Devias investir na poesia.. que tal um livrinho?

    Um grande beijinho primaveril :)

  6. Natacha Says:

    :) Leonor... não me parece :) TInha 15 ou 16 anos quando escrevi este texto... gosto de escrever... mas livros é muito à frente :)

    Beijo e obrigada, de qualquer forma...

Enviar um comentário