Imagem daqui
Paula Oliveira & Bernardo Moreira - Estrela da Tarde

Um dia vou...

... deixar de ter uma questão com esta expressão! Hoje é o dia!

Vejo esta expressão à luz das minhas experiências pessoais, mas tenho, definitivamente, que alargar os meus horizontes. Assim como os actos, também as palavas ficam com quem as profere, as intenções da mesma forma, podem não passar disso, as palavras podem ser apenas palavras também, uma simples junção de letras. Eu gosto das palavras com acção. Aquelas que nos levam nas suas asas mas que se concretizam, produzindo felicidade. Prefiro que se calem as palavras que são apenas palavras, e que dancem comigo aquelas que têm por detrás o fundamento, o objectivo concreto e principalmente a intenção verdadeira de concretização. Essas, ainda que de facto nunca venham a passar de palavras, não perderam o seu significado, não foram vãs.

Um dia escrevi assim:


Sempre quis escrever, um dia.Um dia... tudo!

Frase repetida incontáveis vezes, em jeito de promessa não prometida, na segurança de um não ter de cumprir.
Um dia, expressão que dá vida à Esperança e alimenta a vontade de ser persistente, ou que simplesmente encaro como uma fuga para a frente, vivendo o momento e me abstraindo de que o um dia pode nunca vir a acontecer porque, simplesmente, um dia já não estarei aqui, um dia, tudo muda, tudo passa... fica o amargo de um dia não ter sido o próprio dia.
Porque vivemos uma vida em busca de algo ou alguém e quando encontramos nos acossamos com medo? Medo de quê? De sermos felizes?
Este é o momento em que eu sei que existo porque daqui a nada tudo pode simplesmente acabar.
Sei ser feliz nos momentos próprios não permitindo que a tristeza me enuble o pensamento, e sei que um dia, ela partirá, assim como num outro dia, regressará para me acolher no seu colo, quando em mim já não caiba ser feliz.
Eu quero acreditar que um dia alguém me vai entender e querer comigo fazer de um dia, todos os dias.
Para quê protelar o sentido da vida sem viver o válido de todos os dias...
Um dia, eu escrevo...


Este foi o dia! Peguei nas minhas memórias mais doídas e escrevi aquilo que um dia eu sempre quis. Escrever que me libertei de um bloqueio emocional. Mais que escrever, porque de intenções já estamos cheios, ultrapassei efectivamente o meu bloqueio. Voltarei a utilizar a expressão um dia, com a tão pouca regularidade que já me era habitual, mas deixarei de bloquear quando alguém me disser: Um dia vamos, um dia tudo... 
Continuar a acreditar é o meu propósito, aí  eu não falho.

Respirar fundo, e dar o primeiro passo: Acção!

Escrito para a Fábrica de Histórias incluindo um texto escrito em 2011/05/06

[2011/12/18]

4 Responses to "Um dia vou... hoje é o dia!"

  1. T. Says:

    Um dia há sempre um recomeço =)

    Gosteeeeei muito

    beijos

  2. Closet Says:

    É preciso coragem para escrever as memórias mais doridas, passar a amalgama de sentimentos a palavras e frases. Mas como em tudo, é preciso sempre um 1º passo, libertar as cordas e mergulhar do alto! Um beijinho e ... acção!

  3. Natacha Says:

    T,

    Venho recomeçando quase a cada primavera... penso que seja essa a altura ideal para qualquer recomeço... Já faltou mais ;)

    Beijo, e obrigada por gostares ;)

  4. Natacha Says:

    Sónia,

    Coragem penso que não me falta, neste momento faltam-me apenas as forças ;)

    Mas eu nunca viro as costas a nada, para o bem ou para o mal. Vamos lá mergulhar do alto... e de cabeça ;)

    Beijos, amiga.

Enviar um comentário