22:06


"Olhando o mar, sonho sem ter de quê..." Fernando Pessoa 

Os dias sucedem-se sem complacência, parecem já meses.
Desfiguram-se aos meus olhos como pedra atirada a um charco
que distorce e desfigura a imagem antes clara e definida
que me olhava e que via no meu espelho.
Procuro focar... não me encontro.
Espero, mas o meu espírito não se aquieta,
e quando a dor lancinante me sufoca num jeito trocista,
recolho-me e choro o destino deste Amor,
a incerteza que me invade e me põe à prova.
Não tenho armas que combatam a crueldade deste momento,
mata-me por dentro, cada dia mais um pouco...
... um sufoco.
Oiço, ou penso ouvir os sinais, subtis...
e fico mais baralhada,
nada faz sentido na minha cabeça cansada,
procuro respostas, recebo silêncio,
Sento-me à espera, mas cada segundo que passa,
transforma tudo numa farsa,
e o Amor que guardo cá dentro,
delicadamente... ainda espera...
Espera a cada novo dia,
a cada adormecer,
a cada barulho nas escadas,
a cada raio de sol,
a cada lágrima ou suspiro,
em cada onda do mar...
delicadamente,
como se estivesses quase a chegar...


[2011/04/06]

6 Responses to "A espera..."

  1. Closet Says:

    "os dias (...) parecem já meses" diz tudo, assim é a tortura da espera. Adorei o texto! Beijinhos

  2. Natacha Says:

    Tortura, é isso mesmo Closet, a melhor definição...

    Obrigada, li a tua tenda paraíso, mas tive que sair a correr para respirar... mas mais tarde lá deixarei uma palavrinha porque simplesmente adorei...

    Beijo grande

  3. Ivete Says:

    Esperas assim doem demais... mas tornam possíveis compor textos lindos como este!Cheios de poesia, como sempre.:))

    Gostei muito Natacha.
    Grande beijinho e bom domingo

  4. Natacha Says:

    Amiga Ivete, muito obrigada!
    Dizem que saber esperar é uma virtude e eu levo anos a tentar convencer-me disso mesmo :)

    Um beijinho grande

  5. Ametista Says:

    Triste, mas imensamente belo..
    A verdadeira poesia é mesmo assim.. e tu és poeta, querida Natacha :)

    Um grande beijinho

  6. Natacha Says:

    Puxa Leonor... como agradecer as tuas palavras? Sinto-me pequenina e imensamente grata por te ter aqui... Muito obrigada, mesmo!!

    Um grande beijinho

Enviar um comentário