00:00

Em cada gesto perdido
Tu és igual a mim
Em cada ferida que sara
Escondida do mundo
Eu sou igual a ti
Fazes pinturas de guerra
Que eu não sei apagar
Pintas o sol da cor da terra
E a lua da cor do mar
Em cada grito da alma
Eu sou igual a ti
De cada vez que um olhar
Te alucina e te prende
Tu és igual a mim
Fazes pinturas de sonhos
Pintas o sol na minha mão
E és mistura de vento e lama
Entre os luares perdidos no chão
Em cada noite sem rumo
Tu és igual a mim
De cada vez que procuro
Preciso um abrigo
Eu sou igual a ti
Faço pinturas de guerra
Que eu não sei apagar
E pinto a lua da cor da terra
E o sol da cor do mar
Em cada grito afundado
Eu sou igual a ti
De cada vez que a tremura
Desata o desejo
Tu és igual a mim
Faço pinturas de sonhos
E pinto a lua na tua mão
Misturo o vento e a lama
Piso os luares perdidos no chão

[2008/09/01]

2 Responses to "Tatuagens"

  1. graca Says:

    Procurei onde escrever e descobri aqui uma palavra que nos identifica "Sintonias". Não encontraria melhor nem outro local para ficar. Mafalda, Jorge, um poema e para ti a mudança, uma viragem, um olhar em frente.
    Vai, caminha a passo firme. Eu, estarei sempre aqui mesmo que escondida, para te amparar.
    Beijos.....tantos tantos !!!!!

  2. Natacha Says:

    E eu sei e serei eternamente grata por esta "sintonia" que temos e que nos une, sempre!

    sempre mana Pacanina...

    Beijos e saudades, tantas, tantas...

Enviar um comentário