11:40


Melancolia @olhares.com por Graça Loureiro

My immortal - Evanescence

Apanhou-me desprevenida.
Tem este hábito perverso de me assaltar a intimidade,
remexendo em feridas que não saram, em dores que não acabam,
pisa a ténue linha que separa a minha felicidade da minha tristeza,
e ri, ri com a propriedade de quem tem razão...
Absorve a réstia de Esperança que ainda guardo,
desdenha da forma como vivo o meu sentir,
procura com as suas artes e manhas que eu mude,
mostrando-me cruelmente a minha inutilidade,
o quanto eu não pertenço, ou não faço parte...

Porém, talvez não com razão, mas com teimosia,
não obstante toda esta melancolia,
não posso desistir, não posso não sentir,
eu preciso...
... egoisticamente eu preciso de ti...
eu preciso de sentir assim...

[2011/03/23]
Posted by Picasa

8 Responses to "Melancolia"

  1. A. Says:

    vá lá, Natacha!ânimo.tá?
    beijinhos

  2. Natacha Says:

    Obrigada Ana :)

    Há momentos complicados mas... passam, só têm de passar.

    Beijinhos para ti

  3. Miguel Ferreira Says:

    Gostei muito... Parabéns

  4. Natacha Says:

    Obrigada, Miguel

    Volta sempre :)

  5. A.S. Says:

    Natacha,

    Vou deixar-te duas palavras para que reflitas sobre elas: Partilha e Cumplicidade.
    Sem elas não há relação que sobreviva!

    Obrigado pelo teu carinho.
    Um beijo meu...
    Al

  6. Natacha Says:

    Al,

    Muito obrigada! Sabes, concordo em absoluto com o que dizes, ou melhor, eu também achava que sim até perceber, por observação, de que há relações que resistem em nome de sei lá o quê e onde essas duas condições, para mim naturalmente essenciais, parecem não existir... mas... o que é facto é que existem...

    Obrigada eu, pelo teu carinho e um beijinho

  7. Ametista Says:

    Poeta és tu, sem qualquer dúvida.. é aquela poesia branca que tanto admiro e também faz parte de mim..
    Cumplicidade.. afinidade..? Acredito que sim..
    Obrigada por seres quem és..

    Um grande beijinho :)

  8. Natacha Says:

    Querida Leonor,

    Sei que escrevo com a Alma, sei que sinto o que escrevo de uma forma muito própria, mesmo que não seja propriamente um estado de Alma do momento, mas assim o visto enquanto escrevo.
    Sei que muitas vezes, ou para muita gente, pode parecer demasiado lamechas.
    Sei que não sei diferente.

    Sei que te sinto próxima, muito próxima de tudo o que sei para mim e também sei que gosto de ti e te agradeço toda essa recíprocidade :)

    Sei que quem passe pode achar um "puxar de saco" este comentário, mas também sei que não me interessa nada porque sei do que sou feita e há coisas que verdadeiramente não se explicam, apenas se sentem...

    Beijo enorme!

Enviar um comentário