Gosto de te saber por aí,
preenchendo qualquer lugar com a tua luz,
trazendo no peito a palavra certa,
que me acerta e me seduz,
me ilumina e me conduz
num turbilhão de emoções,
ausentes de defesa
que sempre e na tua presença,
me libertam e me amarram,
como por uma arte mágica,
a essa Alma que é tão grande,
onde gosto de pousar,
porque o teu Amor me acalma,
e me traz de novo a sensação,
de que tenho tão pouca razão,
quando sinto a distância,
tão presente como uma chama,
que me corrói e desgasta
e de mim própria me afasta.
Porque a emoção, o que diz,
é que por muito que eu chore,
que as lágrimas me saiam de dentro,
há sempre aquele momento,
verdadeiro e tão intenso,
que livremente de algum lugar,
tu chegas para me abraçar,
e eu sonho com o dia...
em que tu queiras ficar, no meu peito...
... livremente...
[2010/12/05]
Posted by Picasa

4 Responses to "Livremente..."

  1. Braulio Pereira Says:

    olá Natacha

    lindo poema amei

    beijos!

  2. Natacha Says:

    Olá Braulio. Há muito tempo que não te "via" :)

    Obrigada e um beijinho para ti também!

  3. Cláudio Says:

    Bem, gostava muito de comentar este post, mas não consigo, ainda estou a flutuar nas tuas palavras...

  4. Natacha Says:

    Flutuar parece-me muito bem Cláudio :)

    Beijo

Enviar um comentário